Médico ficou poucos minutos em hospital com bancária de Cuiabá, diz testemunha

Extra

Denis Cesar e Lilian Calixto

 

Um enfermeiro, que não teve o nome divulgado, e que atendeu a bancária de Cuiabá, Lilian Calixto afirmou em depoimento nessa terça-feira (16.04) que o médico Denis Furtado, o Doutor Bumbum, ficou apenas poucos minutos com a paciente internada no hospital, mesmo podendo ter permanecido o tempo todo ao lado dela. A testemunha prestou depoimento na 1ª Vara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro.

De acordo com a assessoria de comunicação do Tribunal de Justiça, esse enfermeiro, funcionário do hospital para onde Lilian foi levada após passar mal, afirmou que a mulher chegou à unidade com náuseas, pressão arterial muito baixa e dificuldade de respirar. Segundo a testemunha, a paciente falou para ele que havia acabado de fazer a bioplastia nos glúteos.

Outra testemunha de acusação ouvida foi um policial civil. Segundo o homem, ele se identificou assim que viu Doutor Bumbum dentro de um carro e, nesse momento, o médico acelerou e fugiu. Ele e a mãe, Maria de Fátima Furtado, que também é ré no processo, só se entregaram quatro dias depois.

Participaram do interrogatório a juíza responsável, o promotor e os advogados envolvidos. Doutor Bumbum chegou ao Tribunal de Justiça do Rio por volta das 13h30 e não quis falar com a imprensa.

A namorada dele, Renata Cirne, também responde ao processo. Ele pediu para não participar do interregatório e a juíza a liberou. Ainda serão ouvidas nesta terça-feira duas testemunhas de acusação e uma de defesa.

Lilian morreu na madrugada do dia 15 de julho do ano passado por causa de uma embolia pulmonar, um dia após Denis ter injetado em seus glúteos a substância PMMA, derivada do acrílico.

Leia Mais - Mato-grossense morre no Rio de Janeiro após procedimento estético


Fonte: VG Notícias

Visite o website: wwww.vgnoticias.com.br