Grupo Prox encerra atividades em MT; Saúde de VG não é comunicada e pode ficar sem translado médico

Rojane Marta/VG Notícias

VG Notícias

2fe79582-226c-4852-8ad6-9533da47023e.jpg

 A Qualycare presta serviço de translado de pacientes no PS/VG

Alvo da Operação Sangria, por suposto esquema de monopólio da saúde no Estado, por meio de serviços médicos hospitalares, o Grupo Prox – composto pelas empresas: Prox Participações, Proclin e Qualycare, em nota à imprensa, informou que irá encerrar suas atividades em Mato Grosso, a partir de 31 de janeiro deste ano.

Na nota, o grupo culpa o Poder Público pelo encerramento das atividades. “A decisão foi tomada por fatores financeiros. Embora tenha apresentado um ótimo resultado administrativo e operacional, o grupo está com seu fluxo de caixa completamente comprometido, fato gerado pela inconstância e pelo atraso nos pagamentos devidos pelo Poder Público, o que tem causado diversos transtornos”.

Das três empresas que compõem o Grupo, duas prestam serviços para a Saúde Pública de Várzea Grande: a Sociedade Mato-Grossense de Assistência em Medicina Interna Ltda, nome fantasia “Proclin” – responsável pelo serviço médico/hospitalar em urgência e emergência, em regime de plantões presenciais, para assistência, avaliação e intervenção, aos pacientes da Unidade de Pronto Atendimento do bairro Ipase (UPA – Ipase) e no Pronto-Socorro Municipal; e a Qualycare Serviços de Saúde e Atendimento Domiciliar Ltda – que presta serviço de translado de pacientes do Pronto-Socorro Municipal.

Porém, segundo o diretor do Pronto-Socorro de Várzea Grande, Ney Provenzano, o contrato com a Proclin foi encerrado em 31 de dezembro de 2018, com isso, desde 01 de janeiro deste ano, os serviços médicos são prestados por médicos contratados pelo município.

Já os translado de pacientes, Ney Provenzano informou que, caso a empresa Qualycare de fato encerre as atividades e deixe de atender em Mato Grosso, Várzea Grande pode ser prejudicada, já que, segundo o diretor, a empresa não comunicou o município, até o momento, sobre o encerramento de suas atividades.

Segundo ele, o contrato do município com a empresa, para prestação de serviços de translado, vigora até março de 2019.

Confira nota do grupo na íntegra:

O Grupo Prox, formado pelas empresas Prox Participações, Proclin e Qualycare, vem a público informar que encerrará suas atividades no próximo dia 31 de janeiro.

A decisão foi tomada por fatores financeiros. Embora tenha apresentado um ótimo resultado administrativo e operacional, o grupo está com seu fluxo de caixa completamente comprometido, fato gerado pela inconstância e pelo atraso nos pagamentos devidos pelo Poder Público, o que tem causado diversos transtornos.

Até o dia 31 de janeiro deste ano, as empresas do grupo prestarão seu serviço na medida do possível. Os pagamentos aos credores e colaboradores serão feitos à medida que as empresas receberem os valores devidos pelo Poder Público. O Grupo Prox agradece ao apoio recebido de seus parceiros, fornecedores e clientes ao longo dos últimos anos.


Fonte: VG Notícias

Visite o website: wwww.vgnoticias.com.br