Secretário nega perpetuação no poder: "quem não fizer um bom trabalho não se reelegerá"

Lucione Nazareth/ VG Notícias

VG Notícias

Sílvio Fidelis

secretário de Educação de Várzea Grande, Sílvio Fidelis

O secretário de Educação de Várzea Grande, Sílvio Fidelis, afirmou nesta quarta-feira (30.01) ao #vgnoticias que a reeleição de diretores e coordenadores nas escolas municipais, por meio da Gestão Democrática da Rede Municipal de Educação de Várzea Grande, é uma forma de garantir a democracia no ambiente escolar e pontuou que só serão reconduzidos profissionais que realizarem um “bom trabalho” na unidade de ensino. A declaração ocorreu durante a votação do Projeto de Lei em sessão extraordinária da Câmara Municipal.

Leia Mais - Vereadores de VG propõem alterar lei para diretor e coordenador pedagógico serem reeleitos ilimitadas vezes

“O projeto de Gestão de Democrática, onde o diretor e coordenador podem concorrer mais uma vez, é uma questão de democracia. É uma questão de aspecto legal. As pessoas que fazem um bom trabalho à comunidade vão reeleger, quem não fizer, claramente que a comunidade escolar não irá reconduzir ao cargo. Isso não significa que ele irá se perpetuar no poder”, disse Fidelis.

Segundo ele, para que um diretor seja eleito é necessário todo um processo legal, no qual exige captação técnica e apresentação de proposta para a unidade de ensino, não dependendo de uma simples vontade do educador ou de terceiros interessados no posto.

“Além disso, estamos em um país aonde temos que dar oportunidade para todos, até que eles que já estão no cargo. Você não vai tirar este direito se as pessoas podem concorrer e ser reconduzidas pela vontade da população, no caso a comunidade escolar. Lembrando que ele só permanecerá se a comunidade escolar o reeleger, caso contrário, ele sairá” declarou o secretário.

Fidelis ainda evitou comentar a Nota Pública do Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Público, subsede Várzea Grande (Sintep/VG), que critica ele (Sílvio) e a prefeita Lucimar Campos. Porém, esclareceu que a recomposição salarial de 4,17% está sendo concedida aos professores porque está prevista apenas a estes profissionais na Lei do Magistério e não aos demais funcionários da Educação.

“Os demais servidores estarão recebendo os direitos necessários futuramente sim, mas neste momento, está sendo concedido apenas o piso do professor garantido da Lei do Magistério. Quero esclarecer ainda, que o reenquadramento nós já estamos com o impacto financeiro, e o estudo já foi concluído e apresentado à prefeita. Acreditamos que durante este ano vamos organizar a concessão, inclusive colocando o valor dentro da Lei Orçamentária”, finalizou.

Lembrando que o Projeto de Lei que prevê a reeleição para diretor e coordenador pedagógico foi aprovado na manhã de hoje pelos vereadores e aguarda ser sancionado pela prefeita Lucimar Campos.


Fonte: VG Notícias

Visite o website: wwww.vgnoticias.com.br