Várzea Grande - MT, Quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Sadia, Perdigão e Seara vão reajustar preços

Publicado em: 15/08/2012 às 08:36

Tamanho da Letra A A A
Foto:Reprodução
Clique na imagem para ampliar

Produtoras de carne e frango

As duas maiores produtoras de carnes de frango e suína do país, a Brasil Foods e a Marfrig, reajustarão os preços de seus produtos para compensar o aumento de custos, especialmente a alta nos grãos que servem de ração para os animais, disseram executivos das companhias nesta terça-feira.

O reajuste dos preços neste trimestre será de 5 a 10 por cento, afirmou o presidente da BRF, José Antonio Fay, em conferência com jornalistas para detalhar os resultados do segundo trimestre.

O mercado internacional de grãos teve preços recordes recentemente, por conta da seca que afetou as lavouras norte-americanas, e a BRF (maior produtora de carne de aves e suína do país) busca recuperar margens com os reajustes, assim como a Marfrig, a segunda no ranking.

O aumento dos preços das carnes deverá ser mais um desafio a ser enfrentado pelo governo para manter a inflação sob controle. O item alimentação é um dos que mais preocupa economistas atualmente, após a disparada nas cotações dos grãos no mercado internacional.

O executivo da BRF lembrou que o planejamento para as vendas de final de ano teve início em março, e os animais já estão sendo alimentados com grãos a um preço muito mais alto do que no ano passado.

"Isto quer dizer que os preços devem ficar mais altos no final do ano", declarou Fay, reforçando que diante das altas dos custos até o momento os aumentos já começam a ser aplicados neste trimestre.

"Estamos falando de aumentos entre 5 e 10 por cento, com a visão que se tem hoje (de custos). E isto é imediatamente, até o final do ano, a ver", completou ele.

No segundo trimestre, a empresa já aplicou reajuste marginal entre 1 e 2 por cento.

A BRF divulgou na segunda-feira o resultado do segundo trimestre, com queda de 99 por cento no lucro líquido, para 6 milhões de reais, por influência importante dos preços de grãos.

MARFRIG

"Concordo com a BRF, que estimou hoje uma alta de 5 a 10 por cento nos preços, para recuperar margem", disse Ricardo Florence, diretor de Relações com Investidores do Marfrig, em entrevista por telefone.

A Marfrig teve lucro líquido de 15,5 milhões de reais no segundo trimestre, revertendo um prejuízo de 91 milhões de reais um ano antes.

Segundo Florence, a Marfrig deve ser menos afetada pelos custos maiores dos grãos por ter mais negócios em bovinos do que a BRF. Além disso, as margens do setor bovino estão melhorando, com um custo menor da arroba do boi.

Por outro lado, a BRF é a maior produtora do país de carne de aves e suína, produtos cujos custos estão mais relacionados aos preços do farelo de soja e do milho, em níveis recordes atualmente.

O aumento significativo dos custos dos grãos levou representantes do setor de carnes nesta terça-feira a Brasília para pedir ao governo a liberação dos créditos de PIS/Cofins que a Receita Federal deve às empresas.

O objetivo, segundo a associação que reúne as processadoras de carne de frango (Ubabef), é usar os créditos para reforçar o capital de giro e investimentos, num momento de margens mais apertadas pelo aumento dos custos.

 

Brasil 247

Comentários (0)

* limite de 550 caracteres

O VG Notícias não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional, inseridos sem a devida identificação do autor ou que sejam notadamente falsos, também poderão ser excluídos.

Lembre-se: A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica. Você pode optar por assinar seu comentário com nome completo ou apelido. Valorize esse espaço democrático Agradecemos a participação!

notícias relacionadas